A Previdência no Brasil

O que é a Previdência Social, Privada, e por que você deveria pensar na sua aposentadoria.

Vendida por bancos ou administrada pelo governo, a solução para a aposentadoria mais procurada ainda é incompreendida e até desconhecida para muitos. Entretanto, com a reforma da Previdência e o futuro sempre incerto da aposentadoria dos cidadãos, se torna cada vez mais importante estar informado sobre este assunto.

Mas então, o que é a Previdência, como ela soluciona o problema da aposentadoria, e por que se preocupar com isso sendo que já temos uma aposentadoria garantida pelo Estado?

 

 – O que é a Previdência?

Previdência nada mais é do que um acúmulo de bens que uma pessoa faz para que, no futuro, tenha capital para completar um objetivo. Na maioria das vezes, este objetivo é ter uma aposentadoria tranquila.

Todas as pessoas possuem um Ciclo Laboral: chega um momento na vida delas em que ela não tem mais a mesma energia para trabalhar, e, idealmente, diminui ou encerra-se sua caminhada profissional. Para que isso se concretize de maneira natural, ela precisa ter capital suficiente para arcar com as despesas, que não se encerrarão com o fim do ciclo laboral. Antes, o trabalho proporcionava isto. Agora, com a saída do mercado de trabalho, os rendimentos da pessoa caem, e as despesas aumentas.

A Previdência resolve isto. Ao fazer uma reserva financeira antes do fim deste ciclo, você estará se preparando para ele.

A maior parte da nossa população não se planeja para este evento, e, consequentemente, é pega de surpresa e acaba tendo complicações. Sabendo disto, o Governo garante uma Previdência Social: utilizando o dinheiro que a população contribui compulsoriamente para o INSS, o Estado paga uma aposentadoria para os trabalhadores que entram no critério do INSS.

Entretanto, acreditar que esta Previdência Social irá garantir uma aposentadoria tranquila é um grande erro.

 

 – Por que a Previdência Social não garante sua segurança?

Acreditar que a Previdência Social lhe garantirá uma aposentadoria tranquila é um erro por diversos fatos. O mais claro deles é que existe um rombo na previdência superior a 200 Bilhões de reais. Isso significa que, para pagar a Previdência Social, é preciso tirar dos cofres públicos esses 200 bilhões. A situação da Previdência também é sempre muito discutida politicamente, o que torna a garantia de que os contribuintes atuais irão se aposentar, no mínimo, duvidosa.

Outro detalhe importante é que o INSS possui um teto: caso você venha a contribuir com a aposentadoria, e contribua com o máximo possível, o máximo que você poderá receber é o teto, que hoje é por volta de 6 mil reais.

A Previdência Social também exibe um problema imenso: ela não tem liquidez. Ou seja, se você tem um problema durante a sua vida que você precise urgentemente do seu dinheiro, você não terá acesso a ele. O Estado só te “entregará” a sua aposentadoria quando as regras que ele define forem atingidas, como por exemplo, que você só poderá pegar seu dinheiro após os 65 anos (idade essa que sempre pode aumentar no futuro).

O futuro da Previdência Social é minado pelo debate político e situação econômica, e o presente da mesma é limitado pela sua inflexibilidade e burocracia, com regras que restringem o acesso do trabalhador ao seu próprio dinheiro. Então, como garantir a aposentadoria sem ter que apostar suas fichas no Governo? É aí que entra a Previdência Privada.

 

– Como a Previdência Privada soluciona os problemas deixados pela Social?

Administrada pelo setor privado, as Previdências Privadas (ou Previdências Complementares) são investimentos que Instituições Financeiras, como Bancos e Corretoras, podem oferecer aos seus clientes. Entretanto, ela é uma classe especial de investimentos, pois o imposto de renda é descontado de forma diferente. Ela também não precisa passar pelo inventário, e pode ser entregue diretamente a um beneficiário, o que ajuda a moldar o seu caráter “previdenciário”, diferente de outros investimentos que tem como objetivo apenas rentabilidade.

Ela difere da Previdência Social em diversos pontos. O primeiro deles é a liquidez. Diferente, da Social, que possui diversas regras para sacar seu dinheiro (levando décadas para poder se aposentar), a Previdência Privada permite que você saque seu dinheiro a hora que você quiser. Se você está juntando para sua aposentadoria, mas ocorre uma emergência em sua vida que exige capital, você pode sacar de sua própria previdência.

Ela também não possui um teto e nem é debatido se ela vai ser paga ou não. Se você quer receber 15 mil reais de aposentadoria, basta contribuir durante sua vida com a quantia suficiente para esse capital. E essa quantia será paga: as regras para administrar Previdências Privadas são bem mais rígidas do que para os outros investimentos.

 

– E existe mais de um tipo de Previdência Privada?

Existem duas modalidades de Previdência Privada: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Existem dois modelos tributários: Tabela Progressiva e Tabela Regressiva.

A principal diferença entre as duas modalidades é o tratamento tributário. O PGBL pode ser abatido na declaração anual do Imposto de Renda, entretanto o IR incidirá sobre o total do capital resgatado. Logo, ele é ideal para quem declara seu Imposto de Renda de forma Completa.

Já o VGBL não pode ser abatido na declaração anual. Entretanto, só é cobrado imposto em cima do rendimento da aplicação, diferente do PGBL, que cobra do total. Ele é indicado para quem faz a declaração Simplificada.

A Tabela Progressiva, de forma simples, cobra proporcionalmente ao que você resgata. Se você resgatar 2 mil reais, você irá pagar 7,5%. Se forem 5 mil reais, você irá pagar 27,5% de IR. Esta tabela é indicada para que irá sacar pouca quantia ou em curto prazo.

A Tabela Regressiva estimula as aplicações de longo prazo: quanto mais tempo você mantê-la, menos imposto irá incidir sobre o investimento. Caso você resgate o dinheiro antes de 2 anos, você pagará 35% de imposto. Acima de 10 anos, o imposto cai para 10%. Esta tabela é recomendada para aqueles que pretendem construir sua aposentadoria, mantendo seu dinheiro aplicado por um longo período.

 

– A Previdência Complementar serve para mim?

A Previdência Complementar serve para todos as pessoas que precisam planejar sua trajetória financeira. O fim do Ciclo Laboral e o início da aposentadoria é um período de alto risco, pois os rendimentos caem drasticamente, e a pessoa não possui mais a mesma disposição e energia de antes para correr atrás e arcar com as consequências de não possuir capital.

Por isso, o planejamento prévio e realista desse período é indispensável para garantir a tranquilidade que os cidadãos precisam e merecem. E a Previdência Privada é a solução ideal para esta situação.

Entenda mais sobre a previdência neste artigo, ou caso você tenha interesse no Ciclo Laboral, comentamos mais sobre ele aqui.

Acesse nosso canal no Youtube para saber mais sobre seguros.


Pedro Miranda
Corretor de Seguros especialista em Seguro de Vida e Planejamento Financeiro
Linkedin