O que fazer em Munique, Alemanha?

No “Dicas de Viagens” de hoje, levaremos você a conhecer a cidade de Munique ou Munchen, na Alemanha, e mostraremos toda a história dessa linda cidade.

Munique é a capital da Baviera e é a terceira maior cidade da Alemanha, ficando atrás apenas de Berlim e Hamburgo. Está sempre cheia, principalmente em setembro, época da Oktoberfest. Os seus pontos turísticos giram em torno do centro histórico e eu aconselho sempre a pegar mapas para orientação nos passeios (em todas as cidades da Europa existem Centros de Informações Turísticas onde se podem pegar mapas gratuitamente).

De todas as cidades que visitamos na Alemanha, Munique foi, sem dúvida, a mais bonita. Amei Munique! Uma cidade descolada, com uma variedade enorme de turistas e uma diversidade grande de habitantes de várias partes do mundo. Munique recebe bem seus visitantes e a cidade sabe valorizar seu bem mais precioso: sua história!

Uma coisa que nos chamou a atenção em toda a Alemanha é que nos metrôs não há catraca. Você compra o bilhete e segue diretamente para o comboio sem passar por nenhuma roleta. Mas, não se engane, pois há fiscais a paisana em todas as linhas e você pode ser abordado a qualquer hora na estação e ter que apresentar seu ticket. Caso não o tenha a multa é bem salgada.

“MUNCHEN HAUPTBAHNHOF” – Estação Central de Trem de Munique 

A Estação central é uma das mais lindas que já vi. Tudo é prático e criterioso. A estação é totalmente coberta, o que nos facilita em dias de chuva evento.Sua área de alimentação é grande e organizada, tendo vários restaurantes e quiosques à sua escolha. De forma rápida e segura, podemos comer de baguetes a refeições completas. Visitamos a estação todos os dias e por várias vezes nos alimentamos nos seus quiosques centrais. Uma delícia!

E nossa aventura vai começar

Começamos nossa aventura saindo do Hotel bem cedo indo até a Karlsplatz. O trajeto é lindo, com muitos trans., bondes e ônibus circulando em perfeita harmonia. Uma caminhada de 10 minutos aproximadamente e lá estávamos nós em frente à famosa Karlsplatz.

KARLSPLATZ

A Karlsplatz é uma praça diferente com um enorme chafariz no meio. As pessoas se sentam em suas pedras/bancos em redor do chafariz. E lá ficam a apreciar a bela arquitetura local. Um convite ao descanso e ao prazer de simplesmente fazer nada

.

Logo em frente à Karlsplatz há um belíssimo e imponente edifício que é o Palácio da Justiça de Munique, o Justizpalast. Impossível não parar e observar cada detalhe de sua arquitetura. Esse edifício se destaca dos demais por sua beleza e antiguidade.

                                                                                  JUSTIZPALAST – (Palácio da Justiça), de frente à Karlsplatz

 

A partir da Karlsplatz começa a Neuhauser Strasse, principal Rua de compras da cidade, que se estende até a Marienplatz. Logo no começo da Rua tem-se um monumento chamado Portão de Karlstor, uma das construções medievais remanescentes de Munique. Um belíssimo portal que faz da Karlsplatz um verdadeiro cartão postal da cidade. E as tulipas, são encontradas em todos os cantos, por todos os lugares. Lindo!

Portão de Karlstor: um dos portões medievais de entrada para o centro histórico de Munique

 

Neuhauser Strasse – principal rua de compras de Munique
As lindas tulipas de Munchen. São vistas por toda parte.

Seguindo pela Neuhauser Strasse fomos parar na Marienplatz ou “Praça de Maria”, outro ponto turístico imperdível da cidade.

MARIENPLATZ – Um capítulo à parte no coração de Munique 

O ponto alto de Munique é a Marienplatz, uma enorme Praça, a principal do centro histórico, onde fica a Neues Rathaus (a Prefeitura nova) que se localiza no final da Kaufingerstrasse. A Neues Rathaus é um imponente e belíssimo edifício no estilo neogótico, com sua fachada  toda detalhada. A Praça foi fundada em 1.158.

Há, também, o Rathaus-Glockenspiel, um carrilhão constituído de 43 sinos e 32  marionetes, que tocam e encenam histórias do século XVI, todos os dias às 11 h e às 17 h. Há uma encenação e a Praça fica lotada de turistas querendo acompanhar a apresentação desse que pode ser considerado um dos mais belos espetáculos do gênero já vistos.

A Marienplatz é um excelente lugar para se tirar fotos, pena que todos pensem o mesmo e a Praça está sempre lotada de gente. Mas, chegando bem cedo à Praça pode-se encontrá-la vazia e aproveitar ao máximo dela.

Neues Rathaus (Nova Prefeitura), em Marienplatz.
Personagens do Rathaus-Glockenspiel

Bem no centro da Marienplatz está a Coluna de Maria, erigida em 1.638 para celebrar o fim da ocupação sueca durante a Guerra dos Trinta Anos. A fonte é belíssima como tudo na Marienplatz. Em seu topo há a estátua da Virgem Maria rodeada por quatro anjos que simbolizam as vitórias frente à guerra, a peste, a heresia e a fome.

A Coluna de Maria com a estátua em dourado acima, no pilar da fonte.

Na Marienplatz nos deparamos com a Altes Rathaus, um belíssimo prédio onde foi a sede da velha prefeitura  até 1.847 e hoje é o edifício do Conselho Municipal de Munique. Ao fundo, na foto abaixo, dá pra ver as torres com as cúpulas verdes da Frauenkirche (Catedral de Nossa Senhora Bendita). Que é a maior igreja de Munique e suas torres pode ser vistas praticamente de todas as partes da cidade.

A Altes Rathaus à esquerda e, ao lado, a Torre que hoje abriga um Museu dos Brinquedos.
Um dos maravilhosos monumentos na Altstadt (Centro Histórico)

Saindo da Marienplatz fomos caminhando em busca da Cervejaria Hofbrauhaus, um ponto muito procurado pelos turistas. A poucas quadras dali a encontramos.

Vale lembrar que é bom chegar cedo, pois a mesma fica lotada e, dependendo da hora, fica difícil achar uma mesa. O lugar é realmente lindo e a comida muito boa.



Seguro Viagem é na Protege Seguros!



HOFBRAUHAUS

 Foi Fundada em 1589 por Wilhelm V para ser a cervejaria da corte. Em 1830, passou a vender cerveja para o público.  O salão principal, o Schwemme, é enorme e comporta mais de 1.000 pessoas, com seu teto e pisos decorados com pinturas de bandeiras e brasões bávaros.

Divertimos-nos a valer com a bandinha e seus músicos vestidos a caráter, tocando músicas alemãs para alegrar a todos. Muito bacana!

E, como não poderia deixar de ser, ficamos um bom tempo nessa cervejaria tão especial e nos deliciamos com sua caneca de Chopp de 1 litro, suas salsichas e seus pretzels. .As mesas são enormes e coletivas, mas, tudo bem, afinal, estamos na Europa. Agostinho experimentou várias cervejas e chopes  e gostou de todas.

O endereço é: Platz 9 (ao lado do Hard Rock Café)

 

O menu da Hofbrauhaus: Tudo muito simples e baratinho rsrs

Saindo da Cervejaria, seguimos em direção à Maximilianstrasse, a Rua mais cara de Munique, com muitas lojas de grife como Prada, Gucci, Louis Vuitton, dentre outras. Logo à frente nos deparamos com a Odeonsplatz, um quarteirão recheado de monumentos: o Residenz, o Felderrrnhalle, o Nationaltheater (a Ópera), a Theathinerkirche...                              

O Residenz Museuns e a Max-Joseph-Platz  

O Residenz é um complexo onde abriga vários museus e monumentos (o Residenz Museuns, a Câmara dos Tesouros, o Teatro Cuvilliés, o Hofkirche e o Reiche Kapelle), e é um dos maiores museus na Baviera. Há também, para quem aprecia  outras Instituições culturais como a Coleção Estadual de Moedas de Munique e o Museu Estadual de Arte Egípcia. Tudo começou em 1385 com um castelo pequeno e foi aumentando com o passar dos séculos.

Estar no Residenz Museuns é dar uma volta ao passado tal sua magnitude e beleza.

Tantos museus, teatros, arquiteturas de tirar o fôlego. Ficamos ali um bom tempo apreciando cada detalhe. Não entramos em nenhum dos museus do complexo, mas, mesmo do lado de fora deu pra sentir a grandeza e o poder do local.

O Residenz Museum
                                                      Teatro Nacional – Ópera do Estado Bávaro (Bayerische Staatsoper), na Praça Max-Joseph.

 

Durante nosso passeio pudemos conhecer outras cervejarias igualmente históricas e de arquiteturas belíssimas. Mas nenhuma se compara à tradicional Hofbräuhaus.

                                                                                             Uma das famosas cervejarias de Munique
As lindas ruas que margeiam a Joseph Platz com suas lojas de grifes famosas

THEATINERKIRCHE – Igreja

Construída entre 1663 e 1690, essa igreja foi encomendada pelo Príncipe Eleitor Ferdinand Maria e sua esposa, Henriette Adelaide de Savóia, como uma homenagem ao nascimento do herdeiro tão esperado para a coroa da Baviera, o Príncipe Max Emanuel, em 1662.

E assim deixamos os museus, o centro e as cervejarias e caminhamos em direção ao Englischer Garten, com parada no Deutsches Museum que seguia em nossa rota.

DEUTSCHES MUSEUM

O Deutsches Museum é um Museu de Tecnologia e Engenharia. Fica em uma ilha no centro de Munique. Lá tem a réplica da oficina de Galileu.

Resolvemos ir ao Deutsches Museum e ao Englischer Garten no mesmo dia, pois fiz o trajeto de caminhada para ambos. Para isso usamos o GPS 4G e mais meus mapas impressos do caminho (o que, diga-se de passagem, nos valeu muito pelos nomes das ruas).

O caminho é lindo, muitas avenidas, monumentos históricos e diversão. Ao chegar ao Deutsches Museum tivemos uma leve decepção, pois o lugar é bastante abandonado. Tentamos, sem êxito, achar uma porta de entrada. Resolvemos seguir para o Englischer Garten.

O Deutsches Museum à esquerda

ENGLISCHER GARTEN

O Englischer Garten foi criado em 1808 é um belíssimo parque com uma enorme área verde. São 5 km quadrados bem no centro da cidade. Lá as pessoas  fazem caminhadas, correm ou simplesmente descansam à sombra dos milhares de árvores antigas. Há rios, lagos, mesinhas, bares, banquinhos para tomar uma cerveja e apreciar a natureza.

O caminho para o Englischer Garten é muito bonito, Ruas tranquilas, arborizadas e limpas. As avenidas largas e movimentadas. Muitas pessoas caminhando com seus pets. A entrada é muito longe, por volta de 1 hora de caminhada. O I-phone do Agostinho, que continha o 4G com GPS estava acabando a bateria. Pra piorar a situação, começou a chover e escurecer (já eram quase 17 horas). Optamos por voltar, correndo, para aproveitar os últimos minutos do GPS. Foi tenso. Estávamos a quase 50 minutos do hotel.

– A caminho do Englischer Garten

 

 

– Outras atrações e curiosidades de Munique:

  • Castelo de Neuschwanstein

Atração número 1 de toda Alemanha, estando em Munique você precisa deixar ao menos uma dia do seu roteiro de viagem para ir até o Castelo de Neuschwanstein, o castelo dos sonhos de qualquer pessoa e que inclusive inspirou Walt Disney para criar o Castelo da Cinderela na Disney.

Não fomos, mas ficou a vontade enorme de ir.

  • Viktualinmarket

Outro passeio imperdível que deixamos de fazer foi ir a esse mercado bem no centrinho de Munique, pertinho da Marienplatz. Chegamos a passar por ele na volta do  Englischer Garten, mas estávamos tão cansados que não nos demos conta do que se tratava e não paramos.

Trata-se de um mercado ao ar livre com várias barracas de comidas típicas, frutas, queijos, vinhos, cerveja, artesanato, etc. Há mesinhas por todo lado. Há mesas comunitárias também. Funciona de segunda a sábado.

– Dicas para transporte público: 

O melhor ticket de transporte para chegar a qualquer lugar é o Ticket de um dia (unitário ou grupo) que pode ser comprado em Munique e vale para todo percurso (incluindo qualquer metro, trem e ônibus que você usar nas duas cidades). Assim, em Munique, ao entrar na estação de metrô ou trem onde comprou o ticket, faça a validação (inserindo nas maquininhas logo nas entradas das plataformas) e no ônibus basta mostrá-lo ao motorista para entrar.

 

  • Dados da viagem:

DATA DE CHEGADA – 10 / Maio / 2016 – 3ª – feira por volta de 13:30 h

DATA DE SAÍDA – 13 / Maio / 2016 – 6ª – feira às 08:54 h (trem – 1ª classe)

– HOTEL: EURO YOUTH HOTEL MUNICH  (Hotel/Hostel)

– ENDEREÇO: Senefelderstr. 5 – Ludwigsvorstadt

– ESTAÇÃO CENTRAL: “Munchen Hauptbahnhof “- (Munchen Central Station)

– DISTÂNCIA DA ESTAÇÃO CENTRAL: 2 minutos a pé.

– CHECK IN: A partir das 14 h.     / CHECK OUT: Até às 11 horas.

– OBSERVAÇÕES DO HOTEL: Cancelamento grátis, Wi-fi no quarto, recepção 24 h., Café da Manhã incluído na diária.

– ENTORNO DO HOTEL: O Hotel fica próximo a vários restaurantes e bares.

– DIÁRIAS: R$ 1.655,00 – 414,00 euros (preço para 03 diárias)

  • Minhas considerações

Hotel muito bom, perto da Estação Central, fácil de achar. O quarto é enorme e arejado, mas sem ar condicionado ou ventilador, apenas aquecedor.  

Por se tratar de um Hostel, o hotel ficava bastante cheio de jovens a todo o momento.

No nosso andar, haviam quartos individuais com banheiro privativo, mas, haviam também quartos e banheiros compartilhados que em nada nos incomodou. Os banheiros compartilhados eram vários no corredor, o que nos fazia crer que quem precisava usar não esperava muito. Os banheiros são separados por masculino e feminino, diferente de Amsterdã que eram todos mistos. A parte de banho, separada da parte dos vasos sanitários. Muito legal. Vi que daria para pegar quartos individuais com banheiros compartilhados.

Café da Manhã bastante variado com frutas e opções de pães e biscoitos. Também com bolinhos. O salão de refeição é de um tamanho bom, tipo um bar. Há vários tipos de mesas e balcões para se sentar. Por se tratar de um Hostel fica bem cheio o salão de café da manhã. Bem parecido com o ambiente de breackfast de Amsterdã. Limpeza do quarto feita diariamente, mas sem trocar toalhas ou lençóis.  Banheiro grande e limpo. Chuveiro bom. Rua tranquila, apesar de bem perto da estação e de uma avenida movimentada.

No começo da rua fica um restaurante, logo na esquina, de nome CADORO, italiano e barato. Comemos lá várias vezes, pizzas e massas. Comida simples, mas boa e com preço razoável. O ambiente bem agradável.

A Estação Central é um capítulo à parte. LINDA! Super bem equipada com placas indicativas, restaurantes, quiosques e tudo o mais o que se possa pensar. Fomos lá várias vezes tomar um café, comer uma baguete nos quiosques ou pra simplesmente admirar os trens.

Três dias foi pouco para ficar em Munique. Deixamos de ir a vários lugares por falta de tempo. A cidade é linda e grande e tem muita coisa pra se ver.

Andamos o tempo todo, não usamos metrô, pois tínhamos o GPS do plano 4G que compramos em Colônia. E nos perdemos nessa cidade maravilhosa que, certamente, pretendo voltar um dia.

  • Cidades para se visitar no entorno:

Como em Colônia, nossa ideia era visitar algumas cidades no entorno, mas, já em Juiz de Fora vimos ser impossível, pois, se ficaríamos apenas três dias em cada cidade, como faríamos tantos bate-voltas?

As cidades que tínhamos selecionado para visitar eram: Fussen (2 h saindo de Munique ou 1:30 h saindo de Garmisch), Garmisch-Parten Kirchen (1:20 h – montanhas e neve), Oberamergau (1:40 h saindo de Munique ou 1:15 h saindo de Garmisch), Nuremberg (1:20 h), Nuremberg a Regensburg (58 min.) – Nuremberg a Rothenburg Ob Der Tauber (1:13 h), Salzburg/Áustria (1:40 h), Innsbruck/Áustria (1:50 h).

Resolvemos escolher uma entre todas essas. Foi difícil. Todos as pequenas vilas no entorno pareciam lindas. Queríamos ir a Nuremberg, mas a passagem de ida estava em 55,00 euros por pessoa. Muito caro! Escolhemos, então, Salzburg que fica entre Munique e Viena.

Saímos do Hotel cedo, partimos no trem das 08:54 h e paramos em Salzburg para uma pequena visita à cidade da Noviça Rebelde. De lá, seguiríamos para Viena.

No trem, de Munique a Viena, dando uma parada em Salzburg.
Nós na Estação Central de Munique à espera do trem para Salzburg

ABOUT ME 

Rachel Miranda – Brasileira, graduada em Direito, sócia da Empresa Protege Seguros e uma apaixonada por conhecer outras culturas.