Perguntas Frequentes

O melhor canal é sempre o Corretor de Seguros.

Bombardeado pelos diversos canais de venda de seguros, sejam, bancos, sites de venda direta, agencia de veículos e corretores de seguros, o consumidor muitas vezes é levado a erro e se perde na análise de custo e benefício, passando a procurar somente o melhor preço final, deixando de lado a comparação de todo escopo do contrato, que pode ocasionar a perda de direito quando precisar utilizar o seguro e a se arrepender do investimento realizado.

Minha orientação enquanto Advogado e Corretor de seguros a 28 anos é que o consumidor se resguarde de algumas armadilhas, adquirindo seu contrato de seguro sempre por intermédio de um Corretor de Seguros Habilitado pela SUSEP, pois como o preço de venda de um seguro será sempre o mesmo em qualquer canal de venda se mantidas as mesmas bases contratuais, o mais prudente é comprar com um especialista

O primeiro passo é escolher o corretor como melhor canal de compra, solicitando de dois amigos uma indicação de um corretor de seguros de sua confiança.

Verificar se este corretor de Seguros é habilitado pela Susep, ou se simplesmente vende seguros para um corretor habilitado na qualidade de seu preposto evitando este canal que não lhe traz segurança (link com Susep para consultar corretores).

Exigir sempre propostas timbradas em PDF com a logomarca das seguradoras evitando ser levado a erro ao receber propostas em Word ou planilhas de Excel que apesar de didáticas, não garantem a veracidade das informações.

Ler atentamente todo contrato antes de assiná-lo, conferindo as informações prestadas a seguradora, as quais serão conferidas pela instituição no momento de um sinistro, e podem levar a uma negativa de indenização.

A Seguradora tem um prazo de 15 dias para avaliar sua proposta de seguros, avaliando o risco, o bem segurado, os dados cadastrais do segurado, podendo dentro deste prazo, se recusar a aceitar o risco, todavia neste período o bem estará segurado.

Entretanto, hoje em dia as seguradoras já dispõem de um sistema que, na maioria dos casos, já procede a recusa da proposta, imediatamente após a transmissão on-line do contrato.

SIM, o bônus existe, e impacta no preço final do seguro.

Bônus, é o desconto que o segurado adquiri a cada ano que faz sua renovação do contrato sem utilizar o seguro.

Este desconto de bônus começa na primeira renovação, ou seja, no segundo ano de seguro com a classe 01 (10 % de desconto), chegando a classe 10 (45 % desconto), na décima renovação.

Outra questão importante em relação ao bônus, é que ele reflete no preço em relação a um seguro novo, e não em relação ao que o cliente pagou no ano anterior.

Ou seja, como o preço dos seguros são alterados em média a cada 5 dias ou pelo menos ao final do mês, pode ocorrer de no ano seguinte o preço do seguro aumentar em relação ao que o segurado pagou no ano anterior, mesmo tendo bônus.

Porém, se comparado com o que ele pagaria naquele dia por um seguro novo, o desconto poderá ser claramente percebido.

Resumindo, o desconto de bônus em relação a um seguro novo pode chegar a 45% de desconto.

A Formação do preço dos seguros é extremamente complexa e são muitas as variantes que influenciam na formação do preço.

Com base em estatísticas de indenização, as seguradoras levam em conta para formar o preço :

Características do veículo (MODELO, MARCA, CUSTO DE REPOSIÇÃO DE PEÇAS E ETC) Características do condutor) (CPF, ESTADO CIVIL, CNH, CEP DE RESIDENCIA, se tem filhos com idade de 18 a 25 anos entre outras.

Também são levadas em conta o volume de indenizações pagas no período, bem como o volume de fraudes contra o seguro, pois este valor e repartido com toda massa segurada em forma de aumento.

Sim. Como a formação do preço do seguro é feita ancorada em estatísticas, que mostram que as pessoas do sexo feminino se envolvem menos em acidentes, e quando o fazem,os danos são de proporções menores,levam os segurados deste sexo,a pagar um preço menor pelo seguro, ALÉM DE TEREM ISENÇÃO DE FRANQUIA NO PRIMEIRO SINISTRO.

Sim.

Idade. Condutores mais velhos e com maior tempo de habilitação apresentam menor índice de acidentes.

Estado Civil – Condutores casados, não trafegam habitualmente com o veículo na madrugada e em locais de maior exposição ao risco e com isto se envolvem menos em acidente e estão menos expostos para que ocorra o roubo do veículo

Tempo de Habilitação – Os condutores com maior tempo de habilitação dirigem com mais cautela e tem histórico de pontuação em sua CNH que permite que as seguradoras verifiquem sua performance como condutores

CPF Pelo CPF do condutor a seguradora pode consultar todo sistema bancário e verificar tanto a situação econômico-financeira do condutor, bem como sua conduta em relação ao cumprimento de suas obrigações em outros contratos (FINANCIAMENTOS,CHEQUE ESPECIAL, AÇÕES JUDICIAIS)

Esta verificação é feita com propósito de identificar possíveis fraudadores do mercado de seguros

Histórico de sinistro – Esta consulta é feita através do RNS – Registro nacional de sinistros, o qual é alimentado e acessado somente pelas seguradoras.

Neste canal, elas tem acesso :

1 – Volume e frequência de sinistros

2 – Tentativas de fraudes já praticadas pelo segurado, com ou sem êxito

3 – Informações sobre o veículo a ser segurado, tais como, se ele já foi indenizado por outra seguradora.

Neste item também a preocupação é a fraude.

SIM.

Também com base em estatísticas CEP, GARAGEM, CASA OU APARTAMENTO, impactam na formação do preço, pois aumentam ou diminuem a exposição do bem segurado ao risco.

O impacto do CEP pode afetar significativamente o preço final do seguro.

Em Juiz de fora a variação pode ocorrer em até 30 % de um bairro para o outro, já em grandes centros e capitais como Rio de Janeiro a variação pode chegar a 100 % de um bairro para o outro.

SIM.

Este item também é de grande relevância na formação do preço.

Nossa orientação aos nossos clientes, é que antes de comprar um veículo, verifiquem pelo menos 3 modelos diferentes, e que nos consultem o preço do seguro, pois de posse desta consulta terão mais informação para tomada de decisão de compra, uma vez que obtendo o preço do seguro terão condição de calcular a despesa fixa que este veículo vai gerar anualmente de seguro.

SIM, Podem influenciar.

Em relação as seguradoras cada uma tem seu volume de indenizações e portanto resultado diferente, o que impacta na formação de seu preço.

Nossa corretora antes de apresentar preço,verifica simultaneamente em 18 seguradoras, através de um programa de consulta de preços, o qual nos permite apresentar para nossos clientes sempre a melhor proposta.

Também em relação ao Corretor, pode ocorrer esta variação em face dos honorários de comissão que cada corretor decide por operar no contrato.

Porém devido a grande competitividade de mercado, e a necessidade de buscar sempre redução de custos,a Protege Seguros atua com a menor comissão permitida pela SUSEP – Superintendência de Seguros Privados, 10 % de honorários.

Deste ponto de vista, vão algumas dicas importantes aos consumidores, ao pesquisarem preço em vários canais de venda:

A- Peçam sempre indicação de um profissional de seguros para amigos que já utilizaram seus seguros,

B – Exija cotação timbrada da seguradora em pdf, pois elas permitem melhor comparação não somente de preço, mas de todas as coberturas, franquias e base contratual, evitando ser levado a erro e perda de direito a indenização caso ocorra um sinistro.

C – Evite propostas por word ou excel, pois elas podem levar a erro na contratação do seguro e consequentemente a perda de direito quando de uma indenização.

Sim e de forma significativa, chegando a

Obviamente que a declaração falsa inicialmente implica na redução do custo do seguro e traz vantagens de curto prazo ao segurado que contrata uma apólice de seguro,porém,a médio e longo prazo, ela traz mais desvantagem para o segurado e para toda massa segurada.

Para o segurado : Seu nome é lançado no RNS – Registro nacional de sinistro e dai em diante sua frequência será medida e precificada com base em sua performance, e seu seguro terá um custo agravado ou até mesmo recusado pelas seguradoras.

Para massa segurada, também traz prejuízos,já que estas despesas com fraude são compartilhadas com todos os segurados em forma de aumento dos prêmios de seguros, tendo em vista que os contratos de seguros são regidos pelo principio do mutualismo e da socialização do risco, tal qual ocorre em um condomínio, onde todas as despesas são dividas com o grupo.

A Fraude, além de ser um crime, também desequilibra o calculo atuarial prejudicando a sociedade como um todo, pois a finalidade do contrato de seguro, é proteger a sociedade.

SIM. Existe a possibilidade da seguradora descobrir a inversão da responsabilidade, que é uma fraude e negar o pagamento, tanto para o veiculo segurado, quanto para o veiculo terceiro, deixando o segurado com dois problemas. Um com prejuízo de sua indenização, e outro com a responsabilidade de rerapar ao terceiro os danos ao terceiro.

SIM, a seguradora faz investigação, pois o volume de fraudes é muito grande e só em 2017 chegaram a 413 milhões, dos quais 345 milhões foram comprovadas.

A fiscalização é demandada pelo próprio sistema da seguradora, que ao receber a reclamação, de forma eletrônica e com estatísticas de fraudes passadas,com base em indicadores, tais como a hora, a dinâmica do fato, o CPF do segurado, a frequência de reclamações do segurado, já cadastradas no RNS (registro nacional de sinistros), dispara imediatamente o pedido de sindicância, que é o nome dado para apurar a veracidade da reclamação.

A seguradora encaminha a cidade do segurado um perito com expertise no assunto para ouvir pessoas ligadas ao segurado,tais como : porteiro do prédio, Vigia do estacionamento, vizinhos, colegas de trabalho e todas as pessoas que possam corroborar ou contradizer as informações do segurado, e também, faz novamente uma entrevista com o segurado

SIM.

Pois em ocorrendo um sinistro (batida, roubo e etc), a probabilidade é que este ocorra no endereço em que o segurado passa a maior parte do tempo, ou seja no CEP de custo mais caro, e este já será um indicador de uma possível simulação ou fraude.

De igual forma ocorrerá em relação ao condutor, caso o sinistro ocorra com o condutor não declarado.

Apurado que o segurado fez declaração falsa e que levou a seguradora a cobrar um premio menor, poderá ocorrer a negativa de indenização

B – SIM, obviamente que a declaração falsa implica na redução do custo do seguro e traz vantagens de curto prazo ao segurado, porém, a médio e longo prazo, ela traz mais desvantagem para o segurado e para toda massa segurada.

Para o segurado : Seu nome é lançado no RNS – Registro nacional de sinistro e dai em diante sua frequência será medida e precificada com base em sua performance

Para massa segurada, também traz prejuízos,já que estas despesas com fraude são compartilhadas com todos os segurados em forma de aumento dos prêmios de seguros, tendo em vista que os contratos de seguros são regidos pelo principio do mutualismo e da socialização do risco, tal qual ocorre em um condomínio, onde todas as despesas são dividas com o grupo.

 

Casos de fraudes em seguros :

Nestes 28 anos no mercado segurador presenciamos centenas de casos de fraudes com apuração por investigação que apuraram irregularidades e resultaram em negativas de indenizações, dentre elas :

A – Segurado que simulou um acidente jogando o veículo em um buraco na estrada, e após investigação a seguradora apurou através de BO que o veículo havia batido em outro lugar dias antes e que este sinistro era uma simulação.

B – Segurado que informou que o veiculo era conduzido por ele, e após investigação, apurou-se o contrário.

C– Segurado que informou que residia e trabalhava em uma cidade, e após investigação, apurou-se através de declaração de terceiros, estadia de hotéis entre outros a improcedência da declaração.

D – Segurado que colocou fogo em uma Loja de computadores e após investigação da seguradora em parceria com o corpo de bombeiros, foi apurado que o segurado colocou fogo em um determinado ponto da loja e fez com que o fogo propagasse ate onde queria que fosse queimado, através de formulários de papel continuo para impressora matricial

C– Segurado que deu queixa de roubo de seu veículo em determinada data e após investigação foi pego passando em um pedágio saindo com veículo de seu estado.

Em todos estes casos e em centenas de milhares catalogados por todas as seguradoras no RNS, além dos indicadores criados para identificação de anomalias recorrentes, são avaliados também a reincidência por CPF e a situação econômico financeira de cada cliente, tendo em vista que a estatística mostra que em grande parte das fraudes o segurado esta com restrições financeiras.

SIM, Se o segurado declarar na contratação do seguro que,guarda habitualmente o veiculo o veiculo em garagem, e este for roubado fora de garagem e for comprovado que o segurado não guarda o veículo habitualmente em garagem, e prestou declaração falsa que influenciou na formação errada do preço, a seguradora tem legitimidade contratual para negar o pagamento.

SIM, Haverá cobertura pelo seguro para o veículo conduzido pelo manobrista, ou qualquer outra pessoa na direção, desde que o condutor tenha idade superior a 25 anos, e caso tenha menos que isto, que haja previsão no contrato de seguro, de que o veículo pode ser dirigido por condutores de 18 a 25 anos.

NÃO, Uma das causas de perda de direito a indenização é dirigir o veículo embriagado.

Porém a comprovação do estado de embriagues deve ser feita através de exame medico ou através do bafômetro.

Na nova lei seca o condutor que for abordado pela autoridade policial não pode mais se recusar a ser submetido a teste, exame clinico, perícia e outro procedimento que permita certificar a influência de álcool ou outra substância psicoativa.

SIM, neste caso também haverá cobertura pelo seguro para o veiculo conduzido por pessoa próxima, amigo, parente e etc, desde que o condutor seja eventual, ou seja que dirija no máximo 15 % do tempo, e que tenha idade superior a 25 anos, e caso tenha menos que isto, que haja previsão no contrato.

A Formação do preço dos seguros é extremamente complexa e são muitas as variantes que influenciam na formação do preço.

Com base em estatísticas de indenização, as seguradoras levam em conta para formar o preço :

Caracteristicas do veículo (MODELO, MARCA, CUSTO DE REPOSIÇÃO DE PEÇAS E ETC) Caracteristicas do condutor) (CPF, ESTADO CIVIL, CNH, CEP DE RESIDENCIA, se tem filhos com idade de 18 a 25 anos

SIM

Como a formação do preço do seguro é feita ancorada em estatísticas, que mostram que as pessoas do sexo feminino se envolvem menos em acidentes, e quando o fazem,os danos são de proporções menores,levam os segurados deste gênero a pagar um preço menor pelo seguro, lém de terem isenção do pagamento de franquia no primeiro sinistro em algumas seguradoras.

SIM.

A – Idade. Condutores mais velhos e com maior tempo de habilitação apresentam menor índice de acidentes.

B- Estado Civil – Condutores casados, não trafegam habitualmente com o veículo na madrugada e em locais de maior exposição ao risco e com isto se envolvem menos em acidente e estão menos expostos para que ocorra o roubo do veículo

C Tempo de Habilitação – Os condutores com maior tempo de habilitação dirigem com mais cautela e tem histórico de pontuação em sua CNH que permite que as seguradoras verifiquem sua performance como condutores

D – CPF Pelo CPF do condutor a seguradora pode consultar todo sistema bancário e verificar tanto a situação econômico-financeira do condutor, bem como sua conduta em relação ao cumprimento de suas obrigações em outros contratos (FINANCIAMENTOS,CHEQUE ESPECIAL, AÇÕES JUDICIAIS)

Esta verificação é feita com propósito de identificar possíveis fraudadores do mercado de seguros

E – Histórico de sinistro – Esta consulta é feita através do RNS – Registro nacional de sinistros, o qual é alimentado e acessado somente pelas seguradoras.

Neste canal, elas tem acesso :

1 – Volume e frequência de sinistros

2 – Tentativas de fraudes já praticadas pelo segurado, com ou sem êxito

3 – Informações sobre o veículo a ser segurado, tais como, se ele já foi indenizado por outra seguradora.

Neste item também a preocupação é a fraude.

SIM.

Também com base em estatísticas CEP, GARAGEM, CASA OU APARTAMENTO, impactam na formação do preço, pois aumentam ou diminuem a exposição do bem segurado ao risco.

O impacto do CEP pode afetar significativamente o preço final do seguro.

Em Juiz de fora a variação pode ocorrer em até 30 % de um bairro para o outro, já em grandes centros e capitais como Rio de Janeiro a variação pode chegar a 100 % de um bairro para o outro.

SIM.

Este item também é de grande relevância na formação do preço.

Nossa orientação aos nossos clientes, é que antes de comprar um veículo, verifiquem pelo menos 3 modelos diferentes, e que nos consultem o preço do seguro, pois de posse desta consulta terão mais informação para tomada de decisão de compra, uma vez que obtendo o preço do seguro terão condição de Calcular a despesa fixa que este veículo vai gerar anualmente de seguro.

SIM, Influenciam.

Em relação as seguradoras cada uma tem seu volume de indenizações e portanto resultado diferente, o que impacta na formação de seu preço.

Em relação os Corretores de Seguros, cada um pode operar com uma comissão.

Porém, ao contratar o segurado terá sempre a melhor condição comercial pois antes de apresentar preço, verificamos simultaneamente em 18 seguradoras, através de um programa de consulta de preços, o qual nos permite apresentar para nossos clientes sempre a melhor proposta.

Deste ponto de vista, vão algumas dicas importantes aos consumidores, ao pesquisarem preço em vários canais de venda:

A- Peçam sempre indicação de um profissional de seguros para amigos que já utilizaram seus seguros,

B – Exijam cotação timbrada da seguradora em pdf, pois elas permitem melhor comparação não somente de preço, mas de todas as coberturas, franquias e base contratual, evitando ser levado a erro e perda de direito a indenização caso ocorra um sinistro.

C – Evitem propostas por word ou excel, pois elas podem levar a erro na contratação do seguro e consequentemente a perda de direito quando de uma indenização.

SIM

Temos dezenas de casos :

Exemplo de cliente que foi enganado e so descobriu ao perder o direito a indenização:

Um cliente nos procurou indicado por de nossos segurados.

Fizemos pesquisa em 18 seguradoras e apresentamos a melhor e menor delas, mas o cliente fechou o seguro junto com a compra do veículo na autorizada.

Posteriormente ao ter seu veículo acidentado e ter a indenização recusada nos procurou

Pedimos a proposta para auxiliarmos na análise como advogado e corretor de seguros, e ele nos enviou onde ao compararmos vimos que as coberturas eram menores, a franquia era o dobro e as assistências 24 hs eram menores e o pior,que o contrato não dava direito a cobertura para condutores de 18 a 25 anos, e foi o que infelizmente ocorreu e gerou a negativa de indenização.

 

Resumindo, se ele tivesse feito conosco com o mesmo escopo contratual alterado para pior, como fez o concorrente, ele teria pago 350,00 a menos conosco, e teria evitado gastar 10.000.00 de honorários advocatícios com nossa empresa para tentar reverter a negativa.

Sem duvida o melhor lugar para se fechar um contrato de seguro é sempre com o Corretor de seguros.

O gerente de banco trabalha para banco, assim como o vendedor de veículos OKM trabalha para concessionária e sempre que ocorrer uma demanda entre o segurado e a empresa para qual ele trabalha, estes dois profissionais tendem a se posicionar ao lado de sua fonte pagadora.

Já o corretor, tem o segurado como a pessoa mais importante e se posicionará sempre ao seu lado em qualquer demanda, além é claro, pelo fato de ser especialista e também por ser responsável moral e civilmente com base no código civil de 2002, pela entrega do serviço ao segurado.

Desta forma, como o preço final, tende a ser o mesmo em qualquer canal se pesquisado em todas as seguradoras, com o menor honorário de comissão, e mesmas bases contratuais, faça seu seguro com um Corretor de sua extrema confiança e com grande reputação no mercado segurador,e com maior expertise no segmento.

Resumindo, se o preço é o mesmo em qualquer canal d e venda escolha sempre o melhor profissional.

Nós da Protege Seguros, estamos no mercado há 28 anos, e além da expertise no mercado de seguros, temos também formação de Direito a qual nos permite formatar contratos de seguros sob medida e sem risco para nossos clientes.

Metaforicamente, é como poder comprar um carro popular e uma BMW pelo mesmo preço !!

Melhor comprar uma BMW !

Esta questão é muito interessante para o consumidor,uma vez que ao buscar o conhecimento prévio do preço do seguro do veículo pretendido, o consumidor terá indicadores que este veículo lhe trará maior despesa fixa de manutenção, reposição de peças e etc.

A variação de preços de seguro de acordo com modelo é tão grande que há carros Com :

valor de mercado de 50.000.00, que o seguro custa 1,500,00 por ano

com valor de o mesmo valor mercado de 50.000.00, que o seguro custa 3.000,00.

Isto ocorre devido ao fato de alguns veículos terem

A – Custo de reposição e peças maior

B – Com maior dificuldade de localização de peças de reposição

C – Desvalorização de mercado mais acentuada que a média dos veículos similares Já neste quesito a preocupação também é a fraude, pois a perda de muito dinheiro com a compra, pode levar o consumidor a tentar a fraude para receber da seguradora o valor da tabela fipe

Franquia é um termo técnico que mais fácil ser entendida como Participação obrigatória do segurado em qualquer sinistro, exceto os de perda total, ou seja em um sinistro que a franquia seja 1.000,00 e os prejuízos fiquem em 10.000,00, a seguradora pagará 9.000,00 à oficina e o segurado completará 1.000,00 referente a franquia

Bônus, e o desconto que o segurado adquiri a cada ano que faz sua renovação do contrato sem utilizar o seguro.

Este desconto de bônus começa na primeira renovação, ou seja, no segundo ano de seguro com a classe 01(10 % de desconto), chegando a classe 10 (45 % desconto), na décima renovação

Outra questão importante em relação ao bônus, é que ele reflete no preço em relação a um seguro novo, e não em relação ao que o cliente pagou no ano anterior

Ou seja, como o preço dos seguros são alterados em média a cada 5 dias ou pelo menos ao final do mês, pode ocorrer de no ano seguinte o preço do seguro aumentar em relação ao que o segurado pagou no ano anterior, mesmo tendo bônus.

Porém, se comparado com o que ele pagaria naquele dia por um seguro novo, o desconto poderá ser claramente percebido

 

SIM. As seguradoras disponibilizam em média entre 2 a 4 franquias

 

– NÃO, pois via de regra as oficinas tendem a parcelar a franquia em até 3 vezes no cartão de crédito

SIM. O valor da franquia impacta de forma significativa. Sendo ela a participação do segurado no momento de um sinistro, quanto mais baixa for a franquia, diminuindo a participação do segurado, maior será o valor a ser pago pelo seguro.

Realmente é uma operação complexa que requer um severo e dinâmico calculo atuarial, avaliando diariamente com base em estatísticas a possibilidade de um sinistro para se chegar a um valor de prêmio (valor pago pelo segurado) que possam suportar o volume de indenizações previstos.

Os princípios que regem os contratos de seguros são o do mutualismo e da socialização de risco, onde a seguradora capta recursos de toda massa segurada, aplicando-o no mercado financeiro para durante o período de vigência arcar com as despesas de sinistros.

Este modelo de gestão obviamente apresenta lucros, pois se assim não o fosse, as seguradoras não manteriam a atividade, porém algumas carteiras de seguros como seguro de veículos, apresentam resultado negativo sendo compensadas pelos demais ramos com excelente resultado, tais como seguro de vida, residência, lucro este que somado aos investimentos financeiros arrojados e com alta lucratividade, permitem a sustentabilidade e saúde financeira da operação

 

 

SIM – No caso de ocorrer uma intervenção na Seguradora, a SUSEP fará a regulação de todos os sinistros com base reserva técnica existente.

 

Muito pequeno, pois existe um controle muito rigoroso por parte da SUSEP – superintendência de seguros Privados, onde todas as seguradoras tem que fazer uma reserva técnica

Dado que a fiscalização Da SUSEP é muito forte, muito difícil uma seguradora falir.

Quando uma seguradora não esta cumprindo seus compromissos, a SUSEP intervém para evitar essa situação se mantenha.

Os técnicos do governo tentam resolver a questão e, se não houver solução, o órgão do Governo exige a venda ou a fusão com outra empresa do ramo que possa assumir a massa segurada

SIM, São chamados de Resseguros. Para as operações de maior valor e ou de riscos mais complexos e de pouca comercialização, as seguradoras efetuam o resseguro.Eles funcionam metaforicamente como o jogo do bicho, onde a seguradora compartilha com outra seguradora uma parte do risco para não ter que suportar sozinha um possível sinistro de grande monta.

Aqui, vale um alerta aos segurados para que evitem a contratação das proteções veiculares (seguros piratas), as quais tem aumentado significativamente, pois apesar do principio de gestão ser parecido com o das Seguradoras, a natureza jurídica é outra, uma vez que nas Associações ou cooperativas :

Não há fiscalização da SUSEP

O associado ou cooperado não é considerado consumidor, mas sim sócio, não podendo portanto demandar em juízo se for lesado pela associação ou Cooperativa, e ainda é solidário nas despesas por ela assumidas.

Uma outra questão relevante do risco, é a de que se instituições centenárias com expertise e grande patrimônio, tem dificuldades financeiras em fazer a gestão da carteira de veículos, imagine um pequeno grupo em gerir a pequena parcela recebida do associado/cooperado para fazer face as despesas com sinistros

Ao pesquisar preço em vários canais de venda, estabeleça um parâmetro de coberturas, franquias, pacote de serviços de assistências.

Exija sempre cotações timbradas e em PDF da seguradora eleita, pois elas permitem a comparação do escopo contratual com maior segurança

Não aceite propostas em Word ou Excel, pois apesar de a principio se apresentarem de forma didática, podem esconder armadilhas feitas por quem as confeccionou, o que já não ocorre com as propostas em PDF das seguradoras, onde as regras contratuais ficam transparentes até para quem é leigo no assunto

Como o seguro é metaforicamente um jogo de apostas, onde a seguradora aposta que o segurado não irá utilizar o seguro, e este, por sua vez aposta que utilizará, o ideal é fazer o jogo ou a proposta mais completa.

A melhor forma de contratação é a cobertura Compreensiva, ou seja que compreende todos os riscos passíveis de contratação dentro deste ramo de seguro, são elas:

Casco, a cobertura para o veículo segurado para os riscos de:

Colisão /Incêndio /Furto e Roubo /fenômenos da natureza (granizo, alagamento), responsabilidade Civil para Danos materiais / Danos Corporais / Danos morais, Seguro de Acidentes pessoais de passageiros e as Assistências 24 horas.

Estes serviços adicionais,se utilizadas ao longo da vigência do seguro, certamente retornaram para o segurado com o investimento feito, pois tem alto custo, dentre elas :

Assistência, mecânico, eletricista, Guincho

Vidros, faróis, lanternas e retrovisores

Avisar imediatamente a nossa equipe para que possamos de acordo com o evento ocorrido, orientar de forma personalizada em relação aos procedimentos a serem adotados.

Para isto além do fone 24 horas da seguradora, colocamos nosso telefone a disposição 24 horas por dia

Nem sempre é possível recorrer ao seguro

Se os danos ocorridos ficarem abaixo do valor da franquia não será possível acionar o seguro.

Se os danos ficarem ate determinado valor acima da franquia, não vale a pena utilizar, pois a perda do bônus da renovação, será maior que o valor indenizado.

Esta análise nossa empresa faz junto com o segurado orientando sobre qual a melhor decisão a ser tomada.

SIM. A Seguradora ao receber o que chamamos de aviso de sinistro, abre um processo com ações de verificar se o contrato esta vigente, se o prêmio esta pago, se as bases contratuais no momento do sinistro estão de acordo com aqueles declarados quando da contratação e por fim faz uma vistoria para avaliar os danos, ajustar o preço e estando tudo ok, liberar os reparos ou determinar a perda total do veículo.

Em se tratando de veículo, se os danos forem de até 75 % do valor do bem, será uma perda parcial, onde a seguradora ajustará o valor dos reparos e autorizará a oficina escolhida pelo segurado, que emita nota fiscal para proceder o pagamento.

Já se os danos forem superior a 75 % do valor do bem, será considerado uma perda total.

Na Perda Total, a seguradora enviará ao segurado uma relação de documentos a serem juntados ao processo e de posse deles a fará a compra do veículo, chamado de salvado pagando o valor estabelecido no contrato com base na tabela FIPE.

Se for perda Parcial, o segurado deve pagar a franquia (participação obrigatória) ajustada em contrato

Se for perda total, não haverá nenhum pagamento a ser feito, porém o contrato será imediatamente cancelado após a liquidação, devendo o segurado fazer novo seguro ao adquirir novo veículo.

SIM, principalmente para veículos, pois como já dissemos este ramo é o que apresenta o índice de indenizações mais severo onde muitas seguradoras operam com volume de indenização muito próximo dos 100 % dos prêmios arrecadados e algumas até com prejuízo, porém compensam através da rentabilidade de outras carteiras com volume de sinistros mais leves.

SIM. Neste segmento o apelo é ainda maior pois o bem amparado é a vida, porém sem perder a conotação financeira, haja visto que esta modalidade de seguro é entendida pelos especialistas, não como um seguro de vida propriamente, mas como “Proteção Financeira“, uma vez que no momento em que a família perde seu provedor, se não houver uma reserva para arcar com despesas fixas por 2 anos, com dividas contraídas, despesas com funeral, com inventário e etc, a família certamente passará sem necessidade por uma situação lastimável.

SIM, a Previdência Privada, deve ser vista como investimento de longo prazo, com pelo menos 10 anos de investimento sem retirada do capital e juros, pois fazer a retirada antes, ensejará cobrança de Carregamento e Imposto de renda com patamares mais altos.

Aqui o ideal é o investidor conversar com nossos especialistas e planejar com que idade pretende sua independência financeira, e quanto precisa para se aposentar, e quanto pode contribuir por mês.

Este segmento traz algumas particularidades muito interessantes em relação aos demais investimentos, tais como :

Não entram em inventário (o que elimina o pagamento de impostos, honorários advocatícios e custas processuais)

Não podem ser objeto de penhora (o que resguarda o investidor em não ter sua aposentadoria, bloqueada judicialmente por alguma ação que venha sofrer ao longo dos anos

Permite a partilha de bens e sucessão familiar previamente realizada na escolha dos beneficiários com o percentual que o investidor decidir, evitando assim os litígios familiares pós morte.